quinta-feira, 23 de junho de 2016

Voz Guarani

Jaci Rocha Gonçalves

O coordenador do Programa Revitalizando Culturas, da Unisul Pedra Branca de Palhoça (SC), Jaci Rocha Gonçalves, doutor em teologia e culturas e Kerexu Yxapyry, orientadora pedagógica e recém formada pelo curso de Licenciatura Intercultural Indígena da Mata Atlântica na UFSC foram os entrevistados de Maria Odete Olsen no programa de referência há 17 anos no  Educação e Cidadania da RecordNews.

O programa vai ao ar nesta quinta-feira, 23 de junho de 2016 às 18h com reprise no domingo, 26 de junho de 2016 às 11h.  Prof. Jaci Gonçalves lembra que o Programa Unisul/Revitalizando Culturas completa 19 anos de ações continuadas com os povos originários, em especial os guarani testemunhando, portanto, a fidelidade de apoio a essa causa nos 20 anos da Unisul na Grande Florianópolis. O programa estimula e facilita docentes e estudantes na interação adequada com as aldeias e os guarani vêm partilhar saberes nos campi de Floripa e do entorno de Tubarão. São 13 Semanas Culturais na Pedra Branca.

O coordenador mostra que o fruto dessa rica experiência multicultural é sua divulgação mundial no I Congresso Internacional Revitalizando Culturas sobre Indigenismo que será nos dias 13, 14 e 15 de setembro tendo como local a Unisul Pedra Branca presencial e a distância e o último dia com todos os congressistas na aldeia Itaty no Centro de Formação Tataendy Rupá.

Prof  Jaci Rocha afirmou sua felicidade pelo trabalho de 25 anos com os guarani e alegre por acompanhar a Educadora e ex-cacique Kerexu Yxapiry num momento de avanços na educação indígena e, ao mesmo tempo, de recuos e temores com massacres como os de Mato Grosso do Sul.

A âncora do programa educação e Cidadania, Maria Odete Olsen, se mostrou emocionada ao entrevistar uma autoridade feminina guarani pela primeira vez em sua atividade jornalística. O papo rolou sobre a forma peculiar de educação nas escolas indígenas. Kerexu explicou em ótimo português sobre o valor e as dificuldades que temos em implantar a educação diferenciada nas escolas indígenas, deixando exemplos concretos de superações que acontecem com freqüência.

Kerexu Yxapiry, Maria Odete Olsen e o Professor Jaci Rocha Gonçalves

Jaci e Kerexu foram interrogados sobre os massacres aos povos originários recentes em nosso país. A guarani explicou que o guarani do Mato Grosso não age como quem ataca com armas, apenas resiste até morrer na defesa da terra sagrada a quem tratam de mãe. Segundo Jaci, a esperança hoje é, porém, mais forte do que quando começou a apoiar essa causa em 1971 e agora há 25 anos com os guarani. Essa esperança é mais forte porque há uma organização forte, silenciosa e respeitosa das organizações dos 180 povos indígenas restantes ainda no Brasil. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário