segunda-feira, 30 de novembro de 2015

A vida de reciclagem de Marinho

Escrito por: Natalia Santos de Pinho

Marinho Gonçalves tem 76 anos, nasceu e cresceu em Laguna. Já foi professor de artes, pescador, cozinheiro e estilista. Foi nessas profissões que foi aprendendo desde cedo a importância da reciclagem. Aprendeu que dava para fazer arte com o que as pessoas colocavam no lixo. Marinho apareceu na última noite do 5º Desafio Lixo Zero e foi uma surpresa que tornou o 8º UniDiversidade ainda mais especial. Sua participação ocorreu na montagem de um ambiente ao ar livre com Ecoesculturas artísticas feitas de materiais recicláveis.
Quando ainda era pescador aproveitava tudo do peixe e foi neste momento que aprendeu que tudo tinha uma utilidade, nada era lixo. Quando era criança e ia para a escola, ficava imaginando como poderia ser o futuro do Brasil se ia de pés descalços assistir o que a professora tinha a ensinar.
Chefe de cozinha, aprendeu como funciona o reaproveitamento. Recicla frutas, vegetais, fazendo chás. Com a banana, por exemplo, faz esculturas e, posteriormente, seca a casca antes de jogá-la no lixo para não apodrecer (sistema de secagem). Com folhas e caules faz sopa, tudo é aproveitado. A folha de cenoura, por exemplo, substitui o tempero. “Hoje sinto que faço pela natureza e faço tudo de graça”.
Consegue fazer também esse processo de reutilização com animais mortos. Faz a recuperação cozinhando-os, come aqueles que são comestíveis e os que não são joga no lixo, mas como os animais foram cozidos antes não irão apodrecer nem fazer mal ao meio ambiente. Com a galinha, por exemplo, reaproveita o bico, as penas e faz esculturas.

Reaproveita garrafa pet, vidro, artesanato, revista, jornal, papel machê, tronco de árvores. Bambu se transforma em gaiola ou instrumento. Como estilista, sabe reaproveitar também os retalhos. Marinho recicla tudo e, por isso, foi convidado pela Unisul a dar cursos sobre reciclagem.

Luz e anunciação. É chegado o Natal com a reciclagem

Marinho apareceu no último dia do 5º Desafio Lixo Zero como uma surpresa que tornou o 8º UniDiversidade ainda mais especial


Nenhum comentário:

Postar um comentário