quinta-feira, 19 de março de 2015

TCCs indígenas: no Morro dos Ancestrais

Algo inédito na história do Brasil: a defesa de dois Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) na Escola indígena Itaty, no Morro dos Cavalos. Foi em 9 de fevereiro de 2015, bem na semana de festejos de 259 anos da morte do jovem líder Guarani Sepé Tiaraju. Os guarani cursam a Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica, da UFSC.


O primeiro a discutir foi o professor da Escola Indígena Itaty, João

Batista Gonçalves sobre o tema da territorialidade indígena no Morro dos Cavalos, e a dificuldade do entrosamento midiático a serviço dessa comunidade como, por exemplo, o silenciamento da mídia. Tudo isso foi denunciado e analisado nesse TCC.

Clovis Brighenti, DOCIME, Cacique Eunice Antunes Kerexu Yxapyry,
Analúcia Hartmann, procurdadora da república e Maria Dorothea Post Darella
O outro TCC foi da Cacique Eunice Antunes. Autoridade maior da aldeia e mãe de três filhos, discutiu o tema da educação diferenciada em obediência à Constituição de 1988, à lei 9394 de diretrizes e bases educacionais em vigor, conhecida como Lei Darci Ribeiro, de 1996. 

A pergunta chave era como construir um currículo diferenciado no Brasil? De um lado, garantindo a autoria autóctone participando dessa construção através das lideranças comunitárias indígenas. Muitos estão se formando no ensino universitário e poderão fazer as traduções para o não-índio do modo de fazer educação na cultura multimilenar Guarani e de outros povos. 



Em SC, além guarani, deverão concluir o curso também os formandos dos povos Kaingang do Oeste/SC e Laklaño/Xokleng do Alto Vale do Itajaí/SC. A formatura será no dia 8 de abril de 2015.

O professor doutor Jaci Rocha Gonçalves foi convidado especial deste momento inédito. Vibrando, o professor lembrou que em 1999, quando a UNISUL ajudou a construir várias estruturas de apoio ao povo guarani no Morro dos Cavalos, os velhos caciques e xamãs, no alto do morro, disseram a seguinte frase: “Um dia nós teremos aqui uma universidade do povo Guarani.” 

Existe um trabalho feito no mestrado da UNISUL, do curso de Relações Internacionais, de 2002, onde também se falava dessa importância que seria o Morro dos Cavalos como um morro ancestral dos mais queridos do povo Guarani. E conclui, o professor Jaci: "Portanto, esses TCCs discutidos na aldeia transformada em campus universitário, ou seja, a academia que se planta no meio da aldeia, mais parece a semente em desenvolvimento desses sonhos que os caciques tiveram sobre o Morro dos ancestrais."

Nenhum comentário:

Postar um comentário