sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Visita Marcante na Orionópolis Catarinense

A tarde de sábado do dia 26 de julho de 2014 foi marcada por grandes ensinamentos aos alunos da Unisul voluntários do Artigo 170 que participaram do projeto Mediações Culturais do Programa Revitalizando Culturas, realizado na Orionópolis Catarinense, entidade que abriga pessoas com deficiências físicas, sensoriais e psicológicas em situação de abandono. O nome da vila é homenagem a São Luís Orione, o santo da caridade, cujas relíquia de sangue ficará na obra de 31 de agosto a 7 de setembro de 2014.

A visita foi precedida pelo padre José Manoel dos Santos, que deu as boas-vindas aos alunos e esclareceu algumas dúvidas dos acadêmicos. Em seguida, o professor Jaci Rocha Gonçalves fez um aprofundamento de estudo sobre o valor do diploma como um Diploma Biocrático, ou seja, de alguém que se deixa governar pelo valor da precioso da vida; alguém que tem consciência de que, num país como o Brasil, quem  tem diploma universitário, tem autoridade  e é capaz de melhorar a qualidade de vida, “ desse diploma realmente pode nascer uma nova relação de saúde social”.

Após a conversa com o padre José Manuel e o professor Jaci, houve o grande momento do encontro: a convivência nos lares. Os relatos após essa convivência demonstraram uma grande compaixão com as pessoas que lá vivem. Amanda Franciele de Lima, estudante de Direito da Unisul e voluntária do projeto, disse que “os moradores pareciam crianças quando ganham presentes, porque estavam felizes com tudo o que acontecia naquele encontro”. Já o Johnatan Santana do Curso de Nutrição disse que foi uma experiência única, e relatou que “é sempre bom ver os dois lados da vida, pois, às vezes, acaba reclamando por não ter uma oportunidade melhor e esquecendo que outras pessoas precisam de tão pouco para ser feliz”.

A história mais marcante do encontro foi do morador Luis Carlos. Tetraplégico, ele estava há dias no Hospital Universitário, e os médicos já davam como certa a sua morte, porém, Luis foi contra o prognóstico dos médicos, dos atendentes da Orionópolis e até mesmo do próprio padre, e voltou para o seu lar.

O encontro significou muito para a vida de cada um que esteve lá. Além dos ensinamentos do padre José Manuel e do professor Jaci - que falou sobre a importância da conscientização para com a sociedade e o mundo em que vivemos – a visita proporcionou muita felicidade para os moradores que receberam carinho e atenção de quem pôde estar lá, e, aos alunos, uma reflexão sobre os valores que se deve priorizar na vida. O encontro, de alguma forma, marcou um pouco a vida e a formação de cada um.

A maior deficiência é a deficiência de amar”      Foto: Leticia Vieira
Eduardo Schmidt
Supervisor Jaci Rocha Gonçalves

Nenhum comentário:

Postar um comentário