quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Solidariedade com os guarani, 
enquanto é tempo!

Oi, amig@. 
Leia as palavras de desespero da comunidade guarani-kaiowa de MS que se define como POVO DAS PALAVRAS SEM MALES. 
É de doer, rezar e se indignar, querid@s.
Você sabe que são 34 anos que participo nas lutas em favor da dignidade de todas as vidas. Na minha memória, essa é a terceira grande autoimolação. 
Em 1986, em Florianópolis foi a greve de fome do povo Kaingang pela devolução do Toldo Chimbangue em Terras de Xapecó. 
No início dos anos 90, dezenas de jovens guarani kaiowa se imolaram na região do atual conflito de terra. 

Na carta às autoridades, eles pedem o seu decreto de morte, 
à Justiça Federal e à Presidenta:   

"Passamos tudo isso para recuperar o nosso território antigo Pyelito Kue/Mbarakay. De fato, sabemos muito bem que no centro desse nosso território antigo estão enterrados vários nossos avôs, avós, bisavôs e bisavós, ali estão os cemitérios de todos os nossos antepassados.


Cientes desse fato histórico, nós já vamos e queremos ser mortos e enterrados junto aos nossos antepassados aqui mesmo onde estamos hoje, por isso, pedimos ao Governo e Justiça Federal para não decretar a ordem de despejo/expulsão, mas solicitamos para decretar a nossa morte coletiva e para enterrar nós todos aqui.


Pedimos, de uma vez por todas, para decretar a nossa dizimação e extinção total, além de enviar vários tratores para cavar um grande buraco para  jogar e enterrar os nossos corpos. Esse é nosso pedido aos juízes federais. Já aguardamos esta decisão da Justiça Federal. 
Decretem a nossa morte coletiva Guarani e Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay e enterrem-nos aqui. Visto que decidimos integralmente a não sairmos daqui com vida e nem mortos.
Sabemos que não temos mais chance em sobreviver dignamente aqui em nosso território antigo, já sofremos muito e estamos todos massacrados e morrendo em ritmo acelerado. Sabemos que seremos expulsos daqui da margem do rio pela Justiça, porém não vamos sair da margem do rio. 

Como um povo nativo e indígena histórico, decidimos meramente em sermos mortos coletivamente aqui. 
Não temos outra opção esta é a nossa última decisão unânime diante do despacho da Justiça Federal de Navirai-MS. 
Atenciosamente, 
Guarani-Kaiowá de Pyelito Kue/Mbarakay"

Convidamos você e sua roda de conhecidos a ler o texto integral e a assinar o pedido solidário em favor da comunidade guarani kaiowá pelo avaaz. 
Como temos feito outras vezes. 

Aweté, Nhanderu (Deus nos abençoe!)
Jaci Gonçalves - Coordenador do Revitalizando Culturas/ UNISUL.

Nenhum comentário:

Postar um comentário